1 of 2

Custo médio

Neste conteúdo, você terá noção do conceito de custo médio, quais as configurações necessárias, como funciona o cálculo deste custo no sistema gerencial, e como acompanhar este cálculo feito automaticamente pelo sistema.

  • Conceito: vamos primeiramente esclarecer o conceito do custo médio de forma simples? Então assista este vídeo curto sobre o conceito do cálculo do custo médio.

  • Configurações: então quais as configurações necessárias para a atualização do custo médio?

1 – Primeiro temos que nos basear em um dos saldos do sistema, e pensando principalmente na parte fiscal, nos basearemos no saldo Próprio neste conteúdo.

Curiosidade: você sabia que o saldo próprio não é apenas o saldo físico da empresa? Pois é, no saldo próprio podemos ter saldo de mercadoria em depósito de terceiros, remetido em consignação, ou até mesmo enviado para conserto. Consideramos o que é saldo próprio toda mercadoria para revenda, para produção (no caso de matérias primas, produtos em processo e intermediários), ou produzida (produtos acabados), que seja de propriedade da empresa.

2 – Definimos quais CFOP’s atualizarão o custo médio do produto mediante configuração de seu status. Vejamos no exemplo a seguir:

Uma CFOP de compra de mercadoria para revenda, código 1102 tem seu status configurado “C”:

No status ele deve aumentar um saldo, que no nosso caso é o saldo próprio:

E também atualizar custo médio:

Curiosidade: para que serve a marcação de “Considerar custo zero”? Esta opção quando marcada, faz com que o sistema atualize o custo médio do produto sem custo, ou seja, mesmo ele entrando com determinado valor de nota fiscal, o sistema apenas atualizará o custo médio considerando sua quantidade, então, esta opção SEMPRE reduzirá o custo médio do produto. Geralmente ela é utilizada em bonificações de produtos que foram vendidos anteriormente com o custo muito alto à empresa, e agora precisam ter seu custo médio reduzido. Esta opção deve ser marcada apenas em casos que a contabilidade e gestão da própria empresa estejam de comum acordo.

Como demonstrado no vídeo, podemos deduzir alguns impostos do custo médio: ICMS, PIS e Cofins. Para tanto, temos alguns preferências para setar essas deduções. São eles:

  • Acompanhamento de formação de custo médio: há uma maneira de acompanhar a formação do custo médio, e se faz pelo caminho “Contábil >> Análise do custo médio

Nesta tela, temos duas opções de visualizar o histórico da formação do custo médio de um (ou mais) determinado(s) produto(s): por grid, ou por relatório. Os resultados não são diferentes, mas a forma de visualização e de entendimento pode mudar a cada usuário do sistema. Na demonstração abaixo, escolhemos um determinado produto de revenda, e seu histórico de compra:

  1. Relatório:
  1. Onde:

    1. Temos os dados das notas fiscais;

    2. Custos adicionais do produto na nota fiscal;

    3. Valores de ICMS relacionados ou vinculados à nota fiscal;

    4. Descontos;

    5. Demonstrativo da evolução do estoque, com ênfase a coluna “Custo médio”, que demonstra quando nosso custo médio teve alterações.

Dica: as entradas que atualizam o custo médio sempre trazem as linhas preenchidas, mesmo que seja com valor zero.

  1. Grid:

  1. Aqui temos as mesmas informações, porém um pouco mais separadas, onde:

    1. Temos os dados das notas fiscais;

    2. Os totais conforme cada nota, e o custo médio atualizado a cada nota fiscal;

    3. Temos as informações de custos, ICMS e descontos de cada nota fiscal, ao selecionar na grid na parte esquerda da tela.

Curiosidade: você sabia que há um tipo de saída que deve atualizar o custo médio? Sim, as devoluções de compra devem atualizar o custo médio, de maneira que dali pra frente, o sistema não considere mais aquela mercadoria anteriormente comprada para cálculo da média ponderada do custo. Mais sobre o assunto, poderá ser visto em tópico específico na base de conhecimento: Configuração e contabilização de devolução de compra .