1 de 2

Função do Supervisor de Software

O Supervisor de Software exerce um papel fundamental para o sucesso do uso do Sistema na empresa. Ele irá responder pelo funcionamento do software na empresa, coordenando e supervisionando a equipe de trabalho, na implantação e no uso do software. Este pré-requisito consta na proposta comercial e no contrato da Agrotis, desta forma é imprescindível que o cliente defina um colaborador para esta função. O perfil necessário para esta função é alguém que conheça profundamente as rotinas de trabalho da empresa, os objetivos de negócio da mesma, e o que se pretende com a implantação do software. Este colaborador receberá um treinamento diferenciado, cabendo a ele a responsabilidade de atuar no suporte técnico a qualquer usuário do software. Está sob a responsabilidade do Supervisor, mesmo que com auxílio de outro colaborador, operar equipamentos de informática, prestar atendimento aos usuários, identificando demandas e oportunidades de melhorias em processos internos apoiados pelo software, orientar na utilização do software, e quando necessário, encaminhar as dúvidas ao nosso suporte técnico, servindo como contato principal entre sua empresa e o suporte técnico Agrotis, devendo ainda possuir conhecimentos de informática e de sistemas necessários para receber instruções e atendimento de nosso suporte técnico. Também fica sob a responsabilidade do supervisor ministrar o treinamento a novos colaboradores, gerenciar senhas, permissões, instalações e atualizações do software, bem como manter e verificar com periodicidade o Backup dos dados. Para que o colaborador tenha um bom desempenho como Supervisor do Sistema, é essencial que possua bom relacionamento com os departamentos e com a diretoria da empresa, tendo poderes para tomada de decisões no que se refere correção de procedimentos internos, bem como autoridade para cobrar a realização de tarefas delegadas a outros colaboradores (cadastros, configurações, detalhamento de processos, entre outros). Neste sentido, o colaborador vai precisar ainda do apoio da diretoria para arbitrar sobre responsabilidades de tarefas potencialmente conflitivas entre os departamentos da empresa. A falta de um supervisor de sistema, ou a indicação de alguém que não atenda os pré-requisitos estabelecidos, certamente vai gerar desconfortos na implantação e no uso do software. O erro mais comum observado em algumas implantações é a designação de colaboradores recém-contratados, muitas vezes atuando sem o acompanhamento da diretoria, sem que esta certifique que as regras de negócio da empresa estarão preservadas. Quando isso acontece, as chances de que o sistema seja parametrizado incorretamente aumentam consideravelmente, o que certamente trará muitos problemas, como relatórios falhos, lançamentos financeiros em contas erradas, estoques que não condizem com a realidade, entre outros sintomas indesejados. Caso a empresa não disponha de um colaborador com tais qualificações para assumir todas as funções de Supervisor do Sistema, deverá reduzir a autonomia do escolhido e envolver mais profundamente colaboradores de nível hierárquico mais alto, a fim de auxiliar o escolhido no processo de parametrização do sistema. Tipicamente os coordenadores financeiros, contábeis, fiscais e comerciais, precisarão apoiar um Supervisor sem autonomia, muitas vezes tomando para si algumas responsabilidades.